Como Conquistar Um Homem

Passos Para Conquistar um Homem

Do Que Os Homens Gostam?

Quantas pessoas já pegaram fotos antigas das nossas mães e avós e pensaram: “Meu Deus! Que roupa estranha! Que cabelo é esse?” Mas ao falar com elas, sempre dizem que eram as maiorais e que aquele estilo estava na moda na época. O padrão de beleza feminino mudou! Na verdade, está em constante mudança e nunca mudou tão rápido como nos dias de hoje.

O que era lindo a um tempo atrás, hoje já é fora de moda e talvez amanhã volte a ser lindo outra vez. O interessante é pensarmos no quanto somos influenciados com um padrão tão instável e se o que fazemos hoje com nossos corpos e rostos para seguirmos essas tendências– vivemos em uma época onde o número de cirurgias plásticas só tem aumentado – nos manterão satisfeitas. Há alguns anos um peito turbinado era mais do que necessário e muita gente aderiu ao silicone, hoje o bumbum é que está em alta e cada vez há mais procedimentos estéticos voltados para isso. Qual será o futuro? E se os seios pequenos forem a moda? Voltaremos a sala cirúrgica para remover o silicone?

*Nada contra cirurgias plásticas, desde que seja feita para você e não um padrão de estética momentâneo.

Um vídeo super interessante, produzido pelo site Buzzfeed, mostra como os padrões de beleza feminino foram mudando ao longo de 3000 anos, onde antes as curvas eram veneradas, e depois o corpo esquelético era pré-requisito.

Egito (1292 a.C. a 1069 a.C.)

As mulheres deveriam ter cabelos longos, rosto simétrico e um corpo magro e alto com cintura e ombros estreitos.

Grécia  (500 a.C. a 300 a.C.)

Pele branca, seios fartos, coxas grossas e cintura larga configuravam o padrão da época.

China (206 a.C. a 220 d.C.)

A sociedade esperava que as mulheres tivessem olhos grandes, pés pequenos, cintura fina, cabelo longo e bem escuro, dentes brancos e pele pálida.

Renascença (1400 a 1700)

Um corpo arredondado, com quadris largos e seios grandes, era sinônimo de beleza. O padrão ainda impunha pele branca, cabelo loiro e testa grande.

Era vitoriana (1837 a 1901)

A sociedade obrigava as mulheres a vestirem corsets apertados para afinar a cintura o máximo possível. Elas também usavam o cabelo longo como símbolo de feminilidade.

Década de 1920

O visual mais desejado era andrógino: sem curvas, com seios pequenos e cabelo curto.

Hollywood (1930 – 1950)

Estrelas como Marylin Monroe, com corpo curvilíneo e cintura fininha, eram objeto de desejo.

Década de 1960

O jogo se inverte e a modelo Twiggy passa a ser o padrão da vez: magra, alta, sem curvas e com aparência adolescente.

Década de 1980

A top model Cindy Crawford era a representação da beleza daquele tempo com seu corpo alto, magro, atlético e torneado.

Década de 1990

O corpo extremamente magro e quase andrógino de Kate Moss era o que as mulheres desejavam.

Século XXI

Corpo magro, mas saudável, seios e bumbum grandes, mas barriga chapada. Este é o padrão atual.